Uma mudança de mentalidade

Além de fisioterapeuta, passei mais de 12 anos como diretor da Clínica Fisio. No início, realmente não sabia se devia estar lá, porém a responsabilidade foi oferecida a mim antes mesmo de me formar como fisioterapeuta. A clínica tinha mais de 15 anos e lutava para ficar aberta. Na verdade, naquela época, éramos mais uma clínica geral do que uma clínica exclusivamente de fisioterapia. Nos anos seguintes, me lembro de ficar trabalhando todos os dias de 07:00 as 23:00h. O trabalho não faltava. Depois de um fato ocorrido com uma de nossas parceiras, decidimos realmente a nos profissionalizar. Iniciamos a contratação de profissionais, investimos muito em treinamento e chegamos a ter mais mais de 70 profissionais (entre fisioterapeutas e apoio) contratados. Quem tem uma clínica de fisioterapia sabe o quanto isso é fantástico. Houve muitas lições que aprendi durante essa fase da minha carreira. Além de lider, aprendi a cuidar de famílias.


A pandemia iniciou.


Não poderíamos parar. Fomos forçados a continuar trabalhando. Mesmo com todos assustados. Como toda pequena empresa, não tinhamos caixa para sobreviver. Tinhamos caixa para demitir todos. Mas onde esses profissionais iriam? Qual seria o futuro das famílias?

Lembro-me de estar sentado sozinho em uma das macas com a clínica vazia em pleno horáio comercial. Naquele momento lembrei também da imagem de todas as mesas de tratamento ocupadas e vários pacientes se tratando e melhorando dos sintomas. Naquele momento, até uma folha que caia eu conseguia ouvir. Com a maioria dos profissionais em casa e minha agenda relativamente cheia, lembro de um paciente que atendi na Unidade Oliveira Paiva. Ele sentiu que estava preocupado e começa a me fazer perguntas das quais eu não queria responder, do tipo “Onde estão todos? Você vão ficar abertos mesmo com as restrições? Como está a sua familia? Qual é o seu plano para superar esta pandemia? ” Já sabe que nem tive respostas para essas perguntas. Talvez agora tenho algumas.

Seguramos todos os empregos no início e iniciamos uma jornada muito doida. Liguei para o conselho num sábado e disse: "Se segunda o atendimento online não for aprovado, nós iremos iniciar os atendimentos." Na segunda feira, tudo estava legalizado e poderíamos sim, iniciar os atendimentos online de fisioterapia. Para quem não sabe, o projeto fisioterapeutaonline.com.br já tinha sido criado em outubro de 2019 por meu pai o Dr. José Milton. Que jornada desbravadora e difícil. O quanto eu aprendi junto com a nossa equipe nesse período. Transformamos a maneira de atender, avaliar e tratar pacientes. Tudo pelo vídeo e a distância. Liguei para outros empresários, professores, instrutores, enfim, até lembro de um dia que passei mais 30 minutos conversando com um dono de uma distribuidora pelo telefone. Nem sabia quem ele era.


Eu me encorajei, direcionei minha energia e fé para usar isso tudo para ficar mais forte. Crescer como pessoa e como profissional. Desenvolver minhas habilidades como lider e ser corajoso. Eu li, ouvi, fiz perguntas, aceitei instruções. Minha mentalidade mudou nesses dias e minha jornada como um verdadeiro líder realmente começou.


Procurei orientação, realizei uma fantástica mentoria com Fred Pinho, lí, escrevi e captei qualquer informação que me oferecesse conhecimento.


Eu vejo meu papel de forma diferente agora. Eu pergunto e escuto antes de formular uma resposta. Eu fiquei um pouco mais sério, mais inteligente, ganhei nesses 18 meses, anos de experiência que não haveria outra maneira de ganhar se não tivesse passado por tudo.


Mudanças de mentalidade tendem a ocorrer com mais frequência em momentos difíceis. As adversidades que encontramos durante esses tempos apresentarão oportunidades para tomar decisões. Podemos ficar arrasados ou nos levantar e fazer coisas que jamais imaginamos ser possível.


Obrigado pela leitura.